quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Governo do RN capacita associações dos setores de confecções e alimentos

Cursos em parceria com o Senai-RN destravam projetos realizados com recursos do Banco Mundial

O Governo do RN está firmando termo de cooperação com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RN) para capacitar 15 associações produtoras de confecções e de alimentos beneficiadas pela compra de equipamentos e insumos, além de reformas de instalações, com recursos do acordo de empréstimo do Banco Mundial. Um dos projetos será desenvolvido na comunidade Sobrado, no município de Portalegre, a 369 kms de Natal. As costureiras terão treinamento para operar as 13 máquinas modernas e nas diversas etapas técnicas (desenho, corte, costura) da produção de moda íntima e confecção em malha. Também farão um curso de empreendedorismo, ministrado pelo Sebrae-RN.

Os cursos eliminam entraves legados pela gestão anterior do Governo Cidadão: a falta de capacitação para usar os equipamentos e insumos adquiridos com recursos do projeto. “Os cursos foram formatados especialmente para as oficinas de costura, inclusive considerando, como no caso desta comunidade quilombola, a questão étnica, a valorização da cultura. Vamos fazer a experiência piloto aqui em Portalegre e aplicá-la também nas outras catorze associações semelhantes que recebem investimentos do Governo do RN”, explicou o secretário de Gestão de Projetos e Metas, Fernando Mineiro.

Ele se reuniu nesta quarta-feira (28) com as mulheres da comunidade, na sede da Associação Quilombola Negros Felicianos do Alto (Anfa). As costureiras discutiram com técnicas do Senai a programação e a metodologia dos cursos, no período de setembro a novembro, com 160/horas aula. O projeto prevê a criação de uma coleção com temas étnicos, a ser desfilada pelas próprias moradoras no Dia da Consciência Negra (20 de novembro), durante a Cajuagrofest, a mais nova atração do calendário cultural de Portalegre, que integra o Polo Serrano de turismo. A parceria foi acertada com o prefeito Manoel de Freitas Neto, que participou da reunião, junto com secretários municipais. “Essa é uma comunidade com história de mobilização. Então, vai saber aproveitar essa oportunidade única de ter uma estrutura de geração de trabalho e renda”, disse o prefeito.

Amélias

A presidenta da ANFA, Maria de Fátima Gomes, ressaltou a importância das capacitações para desfazer o entrave do projeto da associação. “É uma coisa permanente, um aprendizado que vai ficar fica para toda a vida. Vai ser muito bom para a comunidade, que recebe visitas de turistas e estudantes”, disse. Dona Daza, como é mais conhecida, revelou que a coleção sairá sob a marca já usada pela associação: Amélias. Segundo ela, uma referência (irônica) não apenas à figura associada às mulheres no imaginário popular, mas o reconhecimento de uma moradora emblemática da comunidade, “Amélia, que viveu aqui por 108 anos”.

A ANFA reúne 35 famílias das comunidades de Sobrado e Lajedo. Vinte e oito mulheres inscreveram-se nos cursos de capacitação técnica. Elas aprovaram o programa e a ideia da coleção étnica, que será desenvolvida por elas em conjunto com os técnicos do Senai-RN. A instituição já havia criado os primeiros padrões, baseados na cultura negra em geral. “Agora, depois de conhecer a comunidade, vamos adaptar para a temática local”, explicou Maria Luciene de Pontes, coordenadora dos cursos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário