sábado, 25 de novembro de 2017

Nota de solidariedade do Reitor da UNEAL aos servidores públicos do RN

Venho, através deste texto, manifestar a minha indignação contra o governador nefasto do meu Estado de origem, o Rio Grande do Norte, Robinson Faria, que no dia de hoje, através da PM, agrediu, humilhou e jogou bomba e pimenta sobre os meus queridos mestres, professores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN, em Natal.
Nunca pensei, aos meus 41 anos de idade, ver uma situação dessa com pessoas de alto nível, que se doutoraram em centros de excelência do Brasil, que me ensinaram valores que carrego até hoje e pelo fato de exigirem o pagamento de seus salários e reivindicarem respeito à Universidade que me formou em 1997 e que até hoje forma pobres e sitiantes, sobretudo do Sertão potiguar, são agredidos e humilhados desta forma. Não se faz isso com professor, governador! Aprenda a ser gente! Tenha vergonha nessa cara!
Como pode, estudantes, professores universitários e servidores administrativos que labutam, diariamente, pela construção de uma educação superior pública de qualidade, as cabeças pensantes formadoras de novos profissionais, serem tratados dessa forma? Onde iremos chegar?
Aproveitemos cenas terríveis como essas e reflitamos a real situação em que esse país se encontra. Esses ladrões vestidos de paletó que nós elegemos anos a fio, escória da pior estirpe, excremento podre, carrapatos do cao precisam ser expurgados da política. Precisam ir pra cadeia, pelo saque que fizeram nos cofres do meu Estado. O Rio Grande do Norte faliu por práticas espúrias, constantemente praticadas por esse monte de sanguessuga do erário público.
Respeite os meus professores! Respeite a UERN! Respeite os homens e as mulheres de bem que com a suas lutas diárias, fazem ciência, produzem saber, formam profissionais, contribuem, pela educação, para a construção de um mundo melhor.
Em nome da Universidade Estadual de Alagoas- UNEAL que dirijo. Sou solidário aos meus mestres e quero crer que dias melhores virão. Que outra sociedade é possível ser construída pelo processo de emancipação dos sujeitos pela Universidade pública. Leiamos a cena de hoje como uma aula de campo. Como um daqueles dias que a gente volta pra casa de consciência tranquila por ter ensinado muito aos nossos alunos. Não nos acabamos. Vamos olhar pra frente e continuar a luta, diária, cotidiana, pela sobrevivência da UERN. Esse grande patrimônio público, gratuito e de qualidade que há meio século emancipa pessoas e ajuda no processo de desenvolvimento do Estado potiguar.

Banff-Canadá, em 24 de novembro de 2017.
Prof. Jairo José Campos da Costa
Reitor da Universidade Estadual de Alagoas

Nenhum comentário:

Postar um comentário