quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil é lembrado hoje

Esta quinta-feira, 23, marca o Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil, data escolhida pela Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC) para alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença.

Essa conscientização se torna ainda mais necessária diante dos 12.600 novos casos da doença estimados pelo Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (INCA) para a faixa etária de zero a 19 anos de idade, no Brasil, este ano.

Em Mossoró, o alerta, que precisa ser reforçado, já havia sido feito durante o Setembro Dourado, quando a onco-hematologista infantojuvenil, Edvis Serafim, abordou o tema durante as palestras promovidas pela Associação de Apoio aos Portadores de Câncer de Mossoró e Região (AAPCMR), uma das 53 instituições do país que integra a CONIACC.

Na ocasião, a médica chamou a atenção para a relação entre o diagnóstico precoce e as chances de cura. “O índice de cura do câncer em criança, desde que o diagnóstico seja feito precocemente, gira em torno de 70% a 90%”, afirmou a onco-hematologista infantojuvenil, Edvis Serafim. “E para que o diagnóstico seja feito precocemente essas crianças têm que ser levadas aos pediatras de urgência, porque os sinais e sintomas são bem parecidos com os de outras doenças”, acrescentou a médica.

Embora os sinais e sintomas sejam parecidos com os de outros problemas de saúde, a onco-hematologista infantojuvenil citou pontos que podem servir de sinal vermelho aos pais. “Se sua criança tem algum sinal ou sintoma, como anemia ou alguma febre, se ela está diferente do que é normalmente, ela deve procurar um pediatra, um clínico ou um pronto-socorro para que faça esse diagnóstico diferencial, se realmente é uma virose ou se há uma doença oncológica por trás”, disse.

Índice de cura aumentou, mas diagnóstico precoce ainda é um desafio

De acordo com a CONIACC, nas últimas décadas houve um salto nos índices de cura do câncer infantojuvenil, passando de 80% de taxa de mortalidade para 80% de taxa de cura.

Apesar disso, o percentual de cura no Brasil fica aquém do desejado. Isso ocorre, entre outras coisas, devido o diagnóstico tardio. “Uma criança, quando tem a doença diagnosticada precocemente, pode ser tratada com a possibilidade de ter menos sequelas e mais qualidade de vida, por isso é tão importante a família ficar alerta a sinais e sintomas que podem ser câncer e procurar um médico”, alerta Teresa Fonseca - presidenta da Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica (SOBOPE), em postagem no site da CONIACC.

Crianças em tratamento terão dia de lazer

Pacientes infantojuvenis em tratamento oncológico na Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC) e atendidos pela AAPCMR contarão com uma programação diferenciada durante o dia de hoje.

Eles participarão de um momento de lazer na Chácara Santa Luzia. A programação contará com banho de piscina e uma série de atividades recreativas coordenadas por acadêmicos do curso de Educação Física da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

Este dia de lazer será proporcionado pela proprietária da chácara, Rosalina Fernandes, em conjunto com Esmeralda Carlos, Rosilene Carlos e Maria Brucilene, que há alguns anos, em geral próximo ao Natal, oferecem um momento diferente às crianças e seus familiares.

Para a assistente social da AAPCMR, Valéria Viana, iniciativas como essa são muito positivas. “Atitudes como essa são louváveis, porque os pacientes têm muitas limitações. Atividades como essa, em que as pessoas nos procuram e oportunizam esse momento, fazem com que as crianças saiam um pouco dessa rotina de limitação”, finaliza Valéria Viana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário